Ambiente Technico

Acesse nosso Site

Apostilas, Cursos, Modelagem e muito mais (Clique aqui).

AutoCAD

Dicas e Tutoriais de AutoCAD (Clique aqui).

Revit

Dicas e Tutoriais de Revit (Clique Aqui)

SketchUp e Vray

Encontre dicas e Tutoriais de SketchUp e Vray (Clique Aqui)

licenças de Softwares

Adquira sua licença de software

sábado, 19 de março de 2011

19/03/2011

quinta-feira, 17 de março de 2011

Estudo de Iluminação no Revit 2011

Uma das ferramentas que pode nos ajudar para um estudo de iluminação, sem ter que precisar renderizar uma imagem, é a opção “Origem da Luz”.
A origem de luz faz parte da luminária que emite a luz (como uma lâmpada). Em geral, cada família de luminárias tem uma origem de luz, geralmente esta luz é vista somente na renderização, então, muitas vezes, após esperarmos por horas após renderizar uma cena, nos deparamos com alguma decepção, como uma luminária de spot, virada para o lado errado, opor exemplo.
Mas no Revit 2011, podemos visualizar essas origens de luzes antes mesmo de renderizarmos uma cena.
No Revit Architecture, é possível usar vistas 2D e 3D para planejar o espaçamento, ângulo e recuo apropriado das luminárias no modelo de construção. Para o estilo gráfico do modelo da vista, use Sombreamento ou Sombreamento com arestas para ver como a luz bate em uma parede ou outra superfície.
Ao adicionar luminárias em um modelo de construção, você pode exibir as origens de luz. Ao tornar visíveis
as origens de luz, é possível planejar com mais facilidade sua colocação para o melhor efeito.
Para exibir as origens de luz, você precisa seguir os seguintes passos:


1 - Abra uma vista na qual é possível planejar a colocação das luminárias.
Por exemplo, para posicionar luzes de spot que iluminam uma parede, abra uma vista de corte,
uma vista de elevação ou uma vista 3D.
Esta é a cena que eu escolhi, temos aqui, a lumiárias de forro e as luzes spot que iluminam a imagem na parede (lembrando que o quadro com “X” é um decalque, ou seja, uma imagem que só aparece na renderização).


2- Clique na guia Vista ➤ painel Gráficos ➤ Visibilidade/Gráficos.
3 - Na guia Categoriais de modelos da caixa de diálogo Visibilidade/Gráficos, expanda Luminárias.

Selecione Origem da luz.
OBSERVAÇÃO Para ocultar origens de luz em vistas, desmarque Origem da luz.
Clique em OK.

Feito isso, você conseguirá trabalhar com os ângulos e direções das luzes em seu projeto, você ainda pode alterar o estilo visual, para sombreado com arestas, realista, etc...

Eis a imagem renderizada:

Mais renderizações....



quarta-feira, 16 de março de 2011

Passeio Virtual

terça-feira, 15 de março de 2011

Antes do Projeto, um pequeno desabafo...

Tem coisa mais complicada do que criar um projeto? Tem sim, postar ele na internet, SEM TER internet em casa! Eu gostaria de tornar este Blog um pouco mais atrativo para as pessoas que acompanham ele – e tenho percebido que tem aumentado o número de visitas no meu Blog, e fica aqui meu agradecimento à cada um de vocês – gostaria de poder postar tutoriais e alguns blocos de Revit (isso já estou preparando), gostaria de deixar o Blog mais dinâmico. Mas pense em como é fazer tudo isso sem ter – acredite! – internet em casa? É bem complicado! Para se ter uma ideia, este texto estou digitando em casa, no word, para que, quando eu chegar no meu trabalho, fazer apenas o famoso Ctrl+C e Ctrl+V, isso, é claro, quando dá tempo.
Mas aos poucos vou modelando as coisas de acordo com as necessidades, tenho tido muitas dificuldades no meu atual trabalho, estou começando a pensar se realmente vale a pena estar trabalhando fora da minha área, mas sem um curso, ou melhor, um certificado em qualquer programa de arquitetura ou modelagem 3d as coisas ficam complicadas, e como eu não tenho verba para bancar um curso, tenho que aprender tudo sozinho, e isso é muito frustrante, porque, na maioria das vezes, mais vale um certificado – mesmo que meia boca – do que todo aquele teu esforço e tempo dado para se aprender algo. Sei que tem muita gente que sente assim, parece que nosso esforço e força de vontade em querer aprender algo, não é levado em conta. Sempre me deparo com meus trabalhos e os vejo tão simples, tão medíocres que chego a desanimar, queria aprender mais, me aprofundar mais, mas me deparo com os problemas financeiros que me assolam. Como podem ter percebido, tenho postado alguns projetos, e depois os deixo na mão, isso acontece porque me sinto desanimado, chego a tal ponto que queria melhorar tudo, mas simplesmente não consigo. Ainda tem muita coisa para ajustar no meu projeto da Escola de Ballet, tem muitas mudanças a serem feitas, tem partes que precisam ser remodeladas, sem falar que a arquitetura do prédio ainda está longe de ser um projeto decente, logicamente, não posso fazer todos os papeis de uma única vez, preciso aprender a dar um passo de cada vez.
Não quero fazer o papel de um arquiteto, ou coisa assim, quero aprender a usar esta ferramenta, trabalhar como desenhista de Revit em algum lugar ou prestar serviços free lance, quero ter a oportunidade de pode olhar para trás e dizer que todo meu esforço valeu a pena. O mesmo vale para cada um que está nesta situação, não podemos desisitir, jamais poderemos nos dar por vencidos, jamais. Tudo o que precisamos é de APENAS UMA oportunidade para mostrarmos nossa capacidade, e tal oportunidade chegará cedo ou tarde.
Quando eu ouvi falar no Revit (isso em torno de uma ano atrás), meu senso de curiosidade foi atiçado, eu queria saber um pouco mais sobre essa ferramenta revolucionária. Na época eu estava estudando o Curso Técnico em Edificaçõe em Florianópolis, no antigo CEFET. Uma certa noite tivemos uma apresentação do Revit na escola, fiquei muito, mas muito frustrado, sabem porque? Por que eu faltei naquela aula, quando me disseram que havia um programa “igual” o CAD, mas que gerava o 3D e os cortes, apenas “Traçando uma linha”, eu pensei: “Como eles querem competir com o Autocad?”, na época eu estava devorando uma apostila de AutoCad – Tem no meu blog para Download- e achava que seria difícil querer competir com o autocad. Não porque eu fosse uma seguidor fiel do Cad, mas porque sabia que 99,9% dos escritórios trabalhavam com CAD, e sempre pensava na dita cuja da compatibilidade, será que seria compatível?
Hoje tenho a consciência de que o Revit veio para ficar, e está cada vez mais ganhando espaço, aqui em Londrina, muitos arquitetos utilizam o Revit. Por isso eu quero aprender este programa, quero garantir meu lugar ao Sol.
Este projeto da Escola de Ballet está sendo muito bom para mim, estou testando meus limites com Revit, saber até onde posso chegar, quais os pontos serei capaz de melhorar, onde devo parar, tudo está se tornando uma ótima experiência. Como eu estava acostumado a apenas recriar os projetos, agora com esta nova fase, tenho tido mais segurança e auto-confiança.
I – Fachada
A fachada ainda mudou em pouca coisa, apenas a lateral do prédio ficou maior, tive que alongar o prédio para poder receber as medidas mínimas para comportar duas salas de Ballet. O letreiro na fachada me agradou muito, também trabalhei na calçada, colocando ela em um nível mais alto do terreno – antes estava plano.

II – Detalhe da Fachada.

III – Detalhe da Recepção.

Logo na entrada, a recepção ganhou um espaço mais privado, com uma sala protegida por uma parede de vidro, ao fundo, também protegida por uma parede de vidro, fica a diretoria, ou administração da escola. (os quadros com um “X” são os decalques, eles só aparecem na renderização, são as imagens que se podem inserir no projeto).

IV – Vista da Recepção.

Pode-se notar em como a escada em espiral deu maior espaço no Hall  do prédio.

V – Sala de Espera dos Bailarinos

Uma melhoria feita foi a criação da sala de espera dos bailarinos, que conta com uma área, com sofás, os armários, uma geladeira (para o caso de precisar de gelo) e barras nas paredes para se aquecerem ou se alongarem enquanto esperam o inicio das aulas.

VI – Vista da recepção

VII – Sala de aula teórica

A sala de aula teórica foi ideia da minha namorada, ela quem me pediu para criar uma sala de aula para apresentação de vídeos e algumas aulas teóricas, achei esta ideia excelente, a sala ainda vai contar um pequeno acervo de livros e estrutura para apresentação de áudio e vídeo.
Esses são os principais ambientes do andar térreo, amanhã – se Deus quiser – vou postar os ambientes do andar superior e logo mais as renderizações, estou montando um percurso virtual dos ambientes, em breve postarei ele aqui.
Se tiverem dúvidas, sugestões ou críticas, podem postar no Blog, se precisarem de um help, prometo que responderei à todos, mesmo que demore um pouco, hehehehe....







Google+ Followers

Seguidores